ALTAIR - HOMICÍDIO! Briga de amigos termina com um deles morto a facada em bar da cidade
02/06/2017 - 10h05 em Região

(Vítima Cristiano) Na noite desta quinta-feira, 1º de Junho, uma briga por motivos banais no interior de um bar acabou com o assassinato de uma pessoa a facada. Segundo as informações que apuramos na delegacia de polícia de Olímpia durante o flagrante, tudo começou quando autor e vítima, ambos nascidos e criados juntos no pequeno vilarejo de Suinana, distrito de Altair, bebiam no bar conhecido como Bar da Tânia e também como Bar da Figueira. 

O autor, Reginaldo Alves Ferraz, 36 anos, vulgo Rêgi, morador do local e lavrador na Fazenda Ponte Alta, bebia no referido bar na noite desta quinta-feira quando então passou a judiar de um outro morador do local cujo apelido é Amendoim. Como Amendoin é fraquinho e não é de briga, Cristiano Aparecido Costa de Oliveira, 35 anos, a vítima, que também estava no bar e que acabou morrendo depois a golpe de faca, tomou as dores de Amendoim e pediu para que Rêgi parasse de bater no "coitado". Foi aí que Rêgi, metido a valentão, é o que se depreende das palavras de uma das testemunhas, no veneno, deixou Amendoim de lado e passou então a procurar briga com Cristiano. O motivo? Só porque Cristiano defendeu Amendoim. 

Cb Bitencourt com a faca do crime na delegacia de Olímpia (Foto: Julião Pitbull)

Cristiano, como também não é de briga, deixou para lá e pediu para Rêgi parar com aquilo dizendo que eles eram amigos e que ele não ia brigar com ele não. Rêgi chegou a partir pra cima de Cristiano aos socos, mas Cristiano, que levara até um soco no queixo, chegou a tirar uma faca que carrega para trabalhar na colheita de laranjas e disse: Olha Rêgi! Se eu quisesse te matar eu mataria agora, mas não sou de briga não. E complementou. Vamos fazer o seguinte: você me bateu tá bom? Procura um mais forte do que eu para brigar com você. Cristiano então pegou Amendoim e o levou para a casa dele. Depois, retornou ao bar onde tinha deixado as coisas dele.

Nada! Rêgi queria confusão e vendo ele no bar novamente partiu pra cima de Cristiano. Cristiano então pegou a faca e colocou num canto, e foi no mano a mano com Rêgi. Após várias provocações acabou entrando em luta corporal com Rêgi, mas briga rápida e logo separada pela turma do deixa disso. Consta que Rêgi (Foto) ainda teria jogado uma garrafa contra Cristiano, mas ele engoliu tudo calado e sempre dizendo que não queria confusão.

Separados, Cristiano voltou a beber no bar e Rêgi foi embora para casa, mas já com segundas intenções, tanto que ao retornar para o bar, antes passou na casa da irmã dizendo que ia matar o Cristiano. A irmã: Para com isso rapaz. Vai tomar banho e dormir! Mas não, Rêgi queria confusão e voltou para o bar. Antes, segundo uma testemunha que vamos preservar o nome, Rêgi ficou a espreita perto da extinta estação de trem aguardando a vítima que teria que passar por ali. Pelo relato da testemunha deduz-se que a intenção de Rêgi era matar Cristiano a traição.

Cb Silva Nunes, trabalho difícil mas com resultado positivo: autor sendo preso em flagrante (Foto: Julião Pitbull)

Mas impaciente para matar Cristiano que demorava no bar, Rêgi resolveu chegar no bar novamente, mas agora com a faca na cintura. Lá, antes de entrar, foi aconselhado novamente a deixar para lá. Não, Rêgi queria confusão. Não, Rêgi queria briga. Não, Rêgi queria porque queria matar Cristiano. Tudo porque Cristiano não permitiu que ele ficasse judiando de Amendoim. Cristiano foi no banheiro e Rêgi ficou a espreita do lado de fora do bar.

Local no Bar da Tânia onde aconteceu o crime, no distrito de Suinana, pertencente ao município de Altair

UM GOLPE SÓ, MAS FATAL

Quando Cristiano saiu do banheiro e voltou para uma espécie de área onde estava bebendo, mal sentou e Rêgi chegou de frente e o golpeou na barriga. Foi um golpe só e Cristiano já caiu sangrando na barriga. Socorro acionado em Altair, rapidamente a ambulância chegou no local. E, enquanto a vítima era socorrida até a UPA de Olímpia, o autor fugia levando a faca do crime consigo.

MORRE AO DAR ENTRADA NA UPA

Cristiano não resistiu ao golpe de faca e acabou morrendo ao dar entrada na UPA de Olímpia.

PM NO ESTABELECIMENTO COMERCIAL

Instantes depois de serem acionados via COPOM, os policiais Cb Silva Nunes e Cb Bitencourt voaram para o Bar da Tânia, ou Bar da Figueira, um dos dois únicos bares do pequeno vilarejo. Cadê o autor? Vazou!

Imediatamente os policiais foram até a casa de Rêgi mas ele não estava mais lá. Em seguida, sabendo que o pai dele mora na fazenda Pantaleão que fica bem próxima do distrito, os policiais foram para lá a pé. Eles deixaram a VTR da PM estacionada na estrada e foram chegando sorrateiramente para tentar pegar Rêgi no pulo. Lá o pai dele contou que o filho acabara de passar por ali mas que saiu em direção a casa de um amigo nas imediações.

Trabalho bem feito e com agilidade pelos competentes policiais Cb Bitencourt e Cb Silva Nunes fez com que o autor não conseguisse fugir e acabasse preso. É a PM de Altair em ação! (Foto: Julião Pitbull)

PRESO NO MEIO DO CANAVIAL

Corajosamente Silva Nunes e Bitencourt se embrenharam numa estrada escura e lá na frente ouviram um barulho. Era Rêgi correndo ao ver os policiais na escuridão. Rapidamente os policiais foram para cima dele e mesmo ali na escuridão e no meio do canavial os policiais o detiveram. Abordado e detido Rêgi logo foi confessando que matara o amigo de infância.

Algemado, Rêgi foi questionado sobre o faca usada no crime, foi quando ele levou os policiais na casa dele e mostrou a mesma na gaveta e já limpinha. Ou seja, após o crime Rêgi foi para casa, ainda lavou a faca suja de sangue e depois a guardou na gaveta. Aí sim resolver tentar se esconder.

Escrivão Zé Luis e Agente Braga ouvem o acusado de Homicídio Qualificado (Foto: Julião Pitbull)

AGILIDADE, PRECISÃO E FORÇA DE VONTADE

Na maioria dos casos de homicídio dificilmente se pega o assassino e o prende em flagrante. São raras as vezes mas nesse caso não deu tempo para o assassino fugir. Com um trabalho ágil e preciso os policiais Silva Nunes e Bitencourt foram para cima e prenderam o autor em flagrante, friso, fato difícil de acontecer nesse tipo de crime. Geralmente o agressor mata e foge impossibilitando a prisão. Neste caso não, a PM foi mais ágil e não permitiu que o autor fugisse.

Lugar de Assassino: Cadeia! (Foto: Julião Pitbull)

ASSASSINO CONFESSA O CRIME EM DETALHES

Na delegacia Rêgi confessou detalhe por detalhe ao escrivão Zé Luis e ao Agente Braga. Além disso, Rêgi também contou ao Repórter "Julião Pitbull" que acompanhou o início do flagrante, que matou por um minuto de bobeira. Perguntado pelo repórter se estava arrependido, disse que sim e contou que ambos foram criados juntos desde meninos e eram amigos. Detalhe, os dois bebiam no bar na hora do Homicídio.

A VÍTIMA

Cristiano trabalhava na colheita de laranja. Ele deixa 4 irmãos, uma delas especial, Luíza Fernanda. Além dos irmãos ele ainda deixa a mãe dona Benedita, o pai Carlos e o padrasto Joel. O corpo de Cristiano deve ser levado da UPA para o IML de Barretos e provavelmente nesta sexta-feira (2), será liberado para os familiares providenciarem o enterro que deverá ocorrer no município de Altair.

Pequeno Distrito de Suinana (Foto: Panoramio)

REFLEXÃO

Assim termina uma confusão banal com uma vida ceifada também por motivo banal. Claro, sem nenhum preconceito, mas no cerne do episódio estava o tal de cachaça, infelizmente. É provavél que sem bebida na parada o caso não teria terminado em morte, ainda mais um amigo matando o outro, criado junto e desde pequeno. É o mundo em que vivemos, uma realidade nua e crua em que casos como estes nos servem de exemplos para que reflitamos um pouco mais. 

Bebeu? Joga a chave do carro num canto, Não dirija! Bebeu? Não discuta, não brigue! E se beber e tiver armado, seja qual tipo de arma, dispense-a imediatamente já que o bebum na valentia (idiota) dele, acha que tudo pode, que é o grandão, e com isso acaba comentendo loucuras, como esta que Rêgi, trabalhador rural que nunca teve passagens pela polícia, agora deve pegar de 12 a 30 anos de cadeia. Por que? Cachaça e arma branca, no caso, a faca na parada. Faca que tirou a vida do amigo criado junto desde a infância. PENSE NISSO!

Fotos: Julião Pitbull/OLIMPIA24HORAS

Fonte:OLIMPIA24HORAS

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!